Empresas dizem não ter conhecimento da investigação da Operação Zelotes

Citadas como envolvidas no esquema de desvios da Receita Federal, empresas, como o Grupo RBS, além de grandes bancos, informaram não ter conhecimento do assunto

O Estado de S. Paulo

28 Março 2015 | 05h00

BRASÍLIA - Empresas citadas como envolvidas no esquema de desvios da Receita Federal foram procuradas pela reportagem, mas a maioria informou não ter conhecimento do assunto.

O Grupo RBS informou que “desconhece a investigação e nega qualquer irregularidade em suas relações com a Receita Federal”.

O Bradesco e a seguradora especializada em saúde do grupo Bradesco Seguros informaram, por meio de nota, que não comentam assuntos sob investigação das autoridades judiciais.

O banco BTG Pactual, sucessor do antigo banco Pactual, também afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que não comentaria.

Entre as instituições financeiras, Santander e Banco Safra foram procurados, mas não se manifestaram. Os representantes do BankBoston não foram encontrados.

Gerdau. A Gerdau afirmou que não foi contatada por nenhuma autoridade pública a respeito da Operação Zelotes.

“A empresa reitera que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos”, informou, por meio de nota.

A Embraer afirmou que não tem nenhuma informação a respeito do assunto. A Camargo Corrêa também informou desconhecer “informações suscitadas pela reportagem”. A Petrobrás não quis se pronunciar, da mesma forma que a concessionária Light, do Rio de Janeiro.

Copersucar. A Copersucar disse desconhecer o teor das informações e reitera que cumpre rigorosamente todas as normas e legislação vigente.

BR Foods, Mitsubishi MMC, Ford Indústria, Cervejaria Petrópolis, Évora, Marcopolo, Nardini Agroindustrial foram procurados mas não responderam até o fechamento desta edição.

O Estado não conseguiu localizar Ometto, Viação Vale do Ribeira, Via Concessões, Dascan, Holdenn, Kanebo Silk e Cimento Penha e CF Prestadora de Serviços.

O Estado não conseguiu identificar com segurança quem são Carlos Alberto Mansur e Newton Cardoso. / MURILO RODRIGUES ALVES, FÁBIO BRANDT E FÁBIO FABRINI 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.