Empresas estão adaptadas ao real forte, diz Miguel Jorge

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse hoje que as empresas parecem estar mais adaptadas ao real forte. "Tem muito menos empresários reclamando do dólar que há quatro ou cinco meses. Acho que é um bom sintoma", disse, durante entrevista no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi).Miguel Jorge defendeu a ampliação dos recursos para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mas negou que o banco dará recursos para a formação do Banco do Sul, que terá participação de Brasil, Venezuela, Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Equador. O ministro comentou que o aporte a ser feito no Banco do Sul "vai depender do interesse que cada país tiver nele" e afirmou que o assunto é de responsabilidade do Ministério da Fazenda.PatentesOs prazos para exame de marcas e patentes pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) deverão diminuir. O Planejamento Estratégico do órgão para 2007 a 2011 prevê que a análise para marcas esteja pronta, em prazo inferior a um ano a partir do pedido, e o exame de patentes deverá ocorrer em menos de quatro anos. Atualmente, o prazo médio para marcas é de um ano e o de patentes vai de quatro a cinco anos.O Instituto já tem um atendimento online para marcas e agora investirá em um sistema eletrônico para patentes. O Inpi quer informatizar todos os seus serviços e lançou hoje o seu novo portal na Internet. O Planejamento Estratégico foi entregue ao ministro Miguel Jorge pelo presidente do Inpi, Jorge Ávila.

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

09 de outubro de 2007 | 13h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.