Empresas estão preparadas para atender demanda por álcool, diz Unica

Associação propôs ao governo manter a participação atual de álcool na gasolina ou subir para 25%

Célia Froufe e Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

24 de abril de 2012 | 19h08

BRASÍLIA - Apesar de evitar adotar uma posição clara sobre a questão do aumento da adição de álcool à gasolina, a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) também é favorável à volta do patamar anterior. Recentemente, em reunião tripartite, a entidade apresentou dois cenários para o governo. Um com a manutenção da atual participação de álcool na gasolina e outro considerando uma elevação para 25%. "Entregamos as informações para o governo. Estamos prontos para discutir e esperando a avaliação do governo", disse à Agência Estado o presidente interino da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.

Para o executivo da Unica, as empresas estão preparadas para atender à elevação, seja com produção própria ou, em último caso, com importação. Ele salientou que a projeção de crescimento da demanda deste mês até março de 2013 está na casa dos 6%. "Por isso, a decisão tem que ser a mais rápida possível. Caso contrário, a cada dia que a safra avança é mais um dia que se perde na produção voltada para o anidro e mais difícil fica a situação", considerou.

Na avaliação da analista da Tendências Consultoria Integrada Amarylis Romano, qualquer mudança neste momento é prematura. "Acho difícil o governo tomar uma decisão agora, pois não se sabe nem ao certo o tamanho da safra ainda", comentou. Ela salientou que já há informações de que a estiagem em São Paulo tenha prejudicado a safra atual. Além disso, salientou, é preciso ficar de olho no aumento da frota de veículos. 

Tudo o que sabemos sobre:
ÁlcoolGasolinaCombustível

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.