bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Empresas investem no marketing olfativo para atrair o consumidor

Um evento reservado à equipe de vendas da Bombril em março, num hotel do Guarujá, no litoral paulista, tinha como objetivo apresentar um lançamento na área de limpeza da empresa. Para marcar bem a entrada do novo produto, foi organizado um evento multimídia, que incluiu, além de luzes e cenários sob medida, uma borrifada certeira na sala da apresentação com a fragância da linha recém lançada.A responsável por esse ´marketing olfativo´ durante o evento foi a Croma Microencapsulados, que produz cápsulas dos mais variados cheiros. Acredite se quiser, mas a empresa já recebeu encomendas de cheiros de pão com manteiga, panetone, café e mata queimada.Uma rede de supermercados solicitou as cápsulas de pão para pontencializar as vendas na sua seção de padaria. Já o cheiro de panetone e do café foi uma solicitação da rede atacadista Makro para enaltecer promoções. No Natal do ano passado, as pilhas de panetones nos corredores da rede eram acompanhadas dos aparelhos difusores das cápsulas que marcavam o cheiro e atraíam mais compradores. "Com a difusão do cheiro do café, o Makro conseguiu aumentar a venda de café de 9 mil embalagens por dia para 14 mil ao dia", garante o sócio da Croma, Eduardo Caritá, que faturou cerca de R$ 2 milhões no ano passado com esse tipo de encomenda.Terra molhadaO Boticário, por exemplo, fechou um contrato anual com a Croma para que ela produza os odores da sua Estação Natureza, um espaço cultural no Shopping Estação, em Curitiba, que recebe crianças e fala dos problemas da natureza. Assim, a Croma preparou cápsulas não só de mata queimada, como também de terra molhada, entre outras.Fundada há 11 anos, a empresa de Caritá começou representando a tecnologia de uma companhia americana, a Ronald T. Dodge Company, de Ohio. Mas em 1999, com a desvalorizaçãodo real, os parceiros chegaram a um acordo para que as microcápsulas fossem fabricadas no País. Com uma estrutura enxuta, a Croma conta com o trabalho de 20 funcionários na fábrica, e seis representantes de vendas em Estados do Sul, Sudeste e Nordeste. Já fez até outdoors com cheiros de perfume e de comida.A Croma ainda exporta para outros países, como Itália, Israel e Bolívia. Para este último, a empresa fornece desinfetantes para bocais de telefones, uma espécie de adesivo com cheiro colocado na parte interna do aparelho.De acordo com Eduardo Caritá, a empresa ainda recebe pedidos de aromatização de ambientes apenas com o intuito de relaxar ou manter um grupo de pessoas alerta. "Com o cheiro da lavanda, por exemplo, relaxamos um grupo e com o jasmim, as pessoas ficam eufóricas", diz Caritá. Ele explica que a empresa trabalha com essências químicas e naturais.O preço de um serviço de marketing olfativo depende do pedido. Uma odorização como a que aconteceu no evento da Bombril custa cerca de R$ 400. Já a compra de uma máquina difusora de odores para uma loja, por exemplo, que quer marcar o ambiente com um odor característico, custa R$ 180. Um refil com as microcápsulas custa R$ 4. Leia mais sobre marketing no portal de Comércio e Serviços do AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.