Empresas investigadas já demitiram 12 mil

Desde o começo do ano, as construtoras envolvidas na Lava Jato já demitiram cerca de 12 mil trabalhadores, especialmente nas obras da Refinaria Abreu e Lima e no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Segundo o presidente da Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas (Apeop), Luciano Amadio, a situação do setor está muito complicada pela Lava Jato e também pelos atrasos nos pagamentos de obras de importantes programas.

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2015 | 02h03

Segundo ele, apesar das negativas do governo federal, há atrasos em obras do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), do Minha Casa, Minha Vida e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A soma desses fatores - Lava Jato e aperto fiscal -, diz, deve resultar em retração e mais demissões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.