Empresas já demonstram interesse na compra da Garoto

Mais de dois anos depois de comprar a fábrica de chocolates Garoto, a Nestlé terá mesmo que desfazer o negócio. Pelo menos duas outras empresas - a inglesa Cadbury e a americana Masterfood - já declararam interesse em comprar a fábrica brasileira, mas o mercado comenta que pelo menos outras cinco estejam no páreo.A rejeição da fusão Nestlé/Garoto foi mantida nesta terça-feira, por três votos a dois, pelo plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Apesar de ainda não saber onde ou de que forma, a diretoria da Nestlé disse que pretende recorrer novamente.O veto total à operação - que foi realizada no início de 2002 - ocorreu em fevereiro deste ano sob a argumentação de que representaria uma concentração de 58,4% em poder da Nestlé, prejudicando a concorrência. A multinacional suíça pediu revisão ao próprio conselho, apresentando uma proposta de venda parcial da Garoto.A Nestlé pretendia vender marcas, equipamentos e direitos de propriedade equivalentes a uma participação de 10% no mercado de chocolates sob todas as formas (tabletes, bombons e ovos de Páscoa) e a 20% do mercado de coberturas líquidas. O pedido de reapreciação foi aceito em julho passado, mas a maioria dos conselheiros entendeu que o porcentual a ser colocado à venda não restabeleceria a concorrência no mercado de chocolates brasileiro.Prefeito de Vila Velha lamentaO prefeito de Vila Velha Max Filho (PDT-ES) disse que a decisão do Cade "foge ao bom senso". Segundo ele, as decisões da autarquia têm representado para a comunidade local motivo apenas de instabilidade e insegurança."Estávamos a favor de quem investiu na empresa, que foi a Nestlé", disse o prefeito. "Antes dela (Nestlé) entrar, a Garoto estava com problemas sérios e só conseguiu se reerguer pelos aportes que a multinacional realizou", conta.Para o prefeito, é importante que a decisão do Cade seja cumprida o mais rápido possível, já que a "não solução do caso é motivo de profundas incertezas". Segundo Max Filho, a empresa que vier a controlar a fabricante de chocolates capixaba "será muito bem-vinda".Lacta comemora A norte-americana Kraft Foods, líder do mercado brasileiro de chocolates com a marca Lacta, afirmou que "a decisão do Cade preserva o equilíbrio no mercado de chocolates e abre caminho para outro grande competidor no setor." Em nota à imprensa, a Kraft disse que "o consumidor brasileiro foi o grande beneficiado" com o resultado do julgamento. (Colaborou Amanda Brum)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.