Empresas pensam deixar o Brasil, diz ex-ministro

O presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro e ex-ministro da Fazenda no governo Collor, Marcílio Marques Moreira, disse hoje que algumas empresas das quais ele participa como conselheiro pensam em sair do Brasil por causa da "indefinição, retrocessos" e fragilidade dos marcos regulatórios. Ele fez a afirmação ao futuro embaixador brasileiro nos Estados Unidos, Roberto Abdenur, durante encontro com empresários na associação.O ex-ministro, que também foi embaixador do Brasil nos Estados Unidos, não quis dizer quais são essas empresas. Ele comentou que tem conversado com bancos, analistas e consultores e "há várias empresas estrangeiras que estão, no mínimo, adiando a decisão de investimento e outras que estão saindo". No entanto, disse que há investidores interessados em vir, mas que querem regras claras e estáveis. Ele criticou "a desconfiança do governo em relação às agências reguladoras e o desejo de lhes cortar a autonomia, desde o Banco Central, até a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações)". Para ele, "isso coloca em risco a atração de investimentos e, sem ela, essa recuperação do crescimento não será sustentável", disse.Apesar das críticas, Marcílio Marques Moreira, defendeu a política macroeconômica do governo Lula e a decisão do BC no mês passado de manter a taxa de juros em 16,5%. ?A condução macroeconômica vai muito bem; o que preocupa, é essa onda de boatos e declarações contraditórias do governo e do empresariado?, afirmou sobre os rumores de demissão do presidente do BC, Henrique Meirelles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.