finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Empresas privadas dos EUA eliminam 203 mil vagas em outubro

Número é o mais baixo desde julho de 2008 e indica que ritmo de demissões está desacelerando no país

Efe,

04 de novembro de 2009 | 15h56

As companhias privadas dos Estados Unidos perderam 203 mil empregos em outubro, o número mais baixo desde julho de 2008, o que significa que o ritmo de eliminação de postos de trabalho no país está desacelerando, informou nesta quarta-feira, 4, a firma de análise Automatic Data Processing (ADP).

 

Veja também:

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise 

 

Embora o dado seja um pouco superior ao esperado pelos analistas, é muito inferior ao de setembro, quando - segundo o número revisado pela ADP - as empresas americanas eliminaram 227 mil empregos. Antes, esta entidade tinha calculado que, em setembro, foram eliminados 254 mil empregos a respeito de agosto. Estes dados são publicados pouco antes de o Governo americano divulgar os números oficiais, na próxima sexta-feira.

 

Durante estes últimos meses de forte eliminação de emprego, o pior mês foi março passado, quando foram destruídos até 736 mil postos de trabalho, segundo os dados da ADP, que não inclui as empresas públicas nem o setor agrícola em seu relatório. O mês de outubro foi o sétimo consecutivo em que se registrou um arrefecimento no ritmo de eliminação de emprego.

 

Por setores produtivos, a ADP indicou que, no setor de serviços, foram perdidos 86 mil empregos em outubro, enquanto, no da produção de bens, eliminou-se 117 mil, dos quais 65 mil corresponderam ao manufatureiro. Na construção, houve 51 mil postos de trabalho a menos em outubro, o que marca um total de 33 meses de eliminações de emprego e representa um total de 1,675 milhão de trabalhos perdidos desde janeiro de 2007.

 

Sobre o setor financeiro, que, junto com o da construção, está entre os mais afetados pela crise creditícia e a recessão econômica nos Estados Unidos, suas empresas contrataram em outubro, por 23 meses consecutivos, 18 mil pessoas a menos que no mês anterior.

 

Entre as grandes empresas (mais de 500 trabalhadores), foram eliminados 53 mil empregos, enquanto, nas médias (entre 50 e 499 empregados), houve a perda de 75 mil. A destruição de emprego nas pequenas empresas (menos de 50 trabalhadores) afetou mais 75 mil empregados, um número sobre o qual a ADP afirmou que era o menor desse setor desde julho de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
empresas privadasEUAdemissõesoutubro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.