Empresas procuram especialistas em mídias sociais

Nos Estados Unidos, os serviços de emprego estão repletos de oportunidades para esse novo profissional

Gus G. Sentementes, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

THE BALTIMORE SUN

A mulher tinha acabado de comprar um carro novo na concessionária Mile One, mas estava triste porque ia se desfazer do seu carro velho. Então um funcionário da concessionária tirou uma foto dela com os dois automóveis - e a Mile One a pôs em contato com o comprador do seu carro velho online. "Eles se tornaram amigos pelo Facebook", disse Nicole Hayes, diretora de e-commerce para o Mile One Automotive Group.

Nicole afirma que essas interações, que considera muito úteis para fortalecer uma comunidade em torno da marca Mile One, a convenceram de que a companhia precisa adotar o canal da mídia social. A Mile One agora quer contratar um profissional desse campo em tempo integral.

Há apenas alguns anos, as companhias consideravam o Twitter e o Facebook uma alternativa remota, deixando que seus perfis corporativos fossem administrados por estagiários de faculdade ou pelos fanáticos por tecnologia aplicada ao escritório.

Agora, as empresas começam a se preocupar mais com sua presença na mídia social, e a definir papéis e tarefas para os seus funcionários. Preocupados com as gafes de relações públicas e com tweets embaraçosos, muitas delas resolveram elaborar normas de mídia social para os funcionários.

Nem todos aprovaram. Os gerentes que acreditam na utilização da mídia social em suas companhias muitas vezes precisam fazer campanhas internas para convencer sobre o valor desse recurso os altos escalões e os próprios funcionários.

Inclusive é possível usar softwares como HootSuite e SocialToaster para avaliar os efeitos das campanhas de mídia social para uma empresa - fundamentais para mostrar aos altos executivos a sua validade.

As empresas também precisam desesperadamente de feedback e de oportunidades para promover a lealdade e a boa vontade. Com o Twitter e o Facebook, que atualmente atraem centenas de milhões de usuários, estão investindo em campanhas de publicidade e marketing nessas plataformas.

"Quase toda campanha de relações públicas agora tem uma estratégia de mídia social, uma estratégia ao mesmo tempo proativa e reativa", disse Lisa Miles, presidente da seção de Maryland da Public Relations Society of America.

A nova ênfase na mídia social contribui para o crescimento da área de relações públicas. O Departamento do Trabalho previu recentemente que o setor de "especialistas em relações públicas" crescerá 28% até 2018, e que a mídia social será responsável pela maior parte do aumento.

Busca. Os fóruns de emprego online estão repletos de oportunidades para profissionais de mídia social. O Indeed.com, um importante site para contratações, incluiu recentemente o termo "mídia social" entre as 10 maiores tendências de emprego.

O predomínio do termo "mídia social" nas designações de funções no site cresceu persistentemente nos últimos três anos, de quase zero a milhares de ofertas de empregos correspondentes.

Os empregos anunciados muitas vezes cobrem as áreas de relações públicas, publicidade, marketing e serviço aos clientes.

"A pessoa que queremos contratar precisa saber escrever, ter experiência em RP e saber representar a nossa marca", disse Nicole da Mile One. "É essencial que os candidatos pensem antes de escrever alguma coisa. Mas é preciso dar a eles liberdade". Muitas empresas de relações públicas e de marketing agora oferecem às empresas orientação em estratégia de mídia social. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.