finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Empresas puxam receita de serviços em setembro, diz IBGE

A maior demanda de empresas por serviços no mês de setembro puxou a recuperação na receita nominal do setor naquele mês, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta terça-feira, 19. A expansão na receita bruta dos serviços passou de 6,6% em agosto para 9,6% em setembro, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

DANIELA AMORIM, Agencia Estado

19 de novembro de 2013 | 11h45

"Essa recuperação ocorreu nos segmentos que mais pesam no setor de serviços, onde a demanda empresarial é mais forte, como serviços de comunicação, serviços profissionais e transportes", apontou Roberto Saldanha, técnico da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Os serviços de transporte foram responsáveis por 39,6% da formação da taxa em setembro, puxados, sobretudo, pelo transporte terrestre, que teve participação de 20,8% no crescimento da receita dos serviços no mês. "No transporte terrestre, é o transporte de carga que pesa mais. Houve aumento de transporte de carga em setembro e puxou serviços. Lógico que a demanda das famílias ajudou, mas o maior consumo foi das empresas", disse Saldanha.

Segundo ele, o maior movimento no transporte de carga foi gerado tanto pela agricultura quanto pela indústria. "Tanto para consumo de matéria-prima quanto para distribuição de seus produtos. Uma melhor produção agrícola ajuda também (no aumento do transporte terrestre), mas há maior consumo de matérias-primas, há também distribuição de produtos", lembrou o técnico do IBGE, confirmando que o aumento no transporte de cargas pode sinalizar uma recuperação da indústria. "O transporte de carga rodoviário é o mais utilizado pelas empresas", acrescentou.

Já o setor de serviços de informação e comunicação, responsável por 29,1% da taxa de crescimento dos serviços, teve contribuição tanto da demanda empresarial quanto da demanda das famílias. "Houve crescimento maior em termos de telefonia fixa e celular. Também entram aí serviços corporativos, como transmissão de dados", apontou. O segmento de serviços profissionais, administrativos e complementares ficou com 19,8% do aumento na receita nominal dos serviços em setembro.(

Tudo o que sabemos sobre:
serviçosIBGEsetembroempresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.