Empresas querem apoio do governo contra importação de pneus usados

Representantes da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) e de empresas do setor estiveram reunidos nesta sexta-feira com o ministro Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e pediram apoio do governo contra a importação de pneus usados procedentes de diversos países e também de pneus novos vindos da Ásia. Segundo o diretor-geral da Anip, Vilien José Soares, no ano passado, as empresas fabricantes de pneus instaladas no Brasil perderam 5% do mercado doméstico para pneus novos vindos da Ásia e usados procedentes de outros países. Para este ano, a previsão da perda de mercado para esses segmentos chega a 8%.Soares disse que a importação de pneus usados, chamados "meia-vida" pelos fabricantes nacionais, atualmente é proibida, mas os importadores conseguem trazê-los ao País com base em liminares emitidas pela Justiça. A preocupação do setor, segundo o diretor-geral da Anip, volta-se agora para dois projetos que estão em tramitação no Congresso - um na Câmara e um no Senado - que propõem a liberação da importação dos "meia-vida" e contam com apoio dos parlamentares do Estado do Paraná, onde fica a principal unidade importadora. Soares informou que poderá ser votado no Senado, na próxima semana, pela Comissão de Meio Ambiente, o projeto de autoria do senador Flávio Arns (PT-PR) que propõe a liberação da importação. "A gente sabe que isso é péssimo para o País. Por isso, estamos tentando segurar a aprovação desse projeto", afirmou Soares. Segundo ele, na conversa com Furlan, foi discutida a possibilidade de apoio institucional do Ministério do Desenvolvimento contra a proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.