Empréstimo à Grécia pode atrasar se país não honrar acordos, diz FMI

O fundo disse também que que não há espaço para deslizes, avisando que o programa poderia cair por terra se a Grécia não implementar totalmente as políticas planejadas

Renan Carreira, da Agência Estado,

22 de março de 2012 | 13h12

A Grécia vai enfrentar atraso no recebimento de um empréstimo se o governo fracassar em implementar as políticas acordadas na semana passada sob um programa do Fundo Monetário Internacional (FMI) de € 28 bilhões, disse nesta quinta-feira David Hawley, porta-voz da entidade.

"Os pontos principais têm de ser definidos e aprovados, sempre que possível, em relação às medidas necessárias para realizar os ajustes fiscais da Grécia", afirmou ele. "Nós esperamos que isso possa ser feito em três meses. Mas, não se ocorrer nesse período, já que é uma tarefa complexa de ser realizada, então a avaliação pode levar mais tempo."

Sob as regras do FMI, o fundo periodicamente analisa como um país está se portando sob as condições acordadas pelo empréstimo. A tranche é liberada somente após o FMI aprovar a avaliação. No caso da Grécia, isso significa que o desembolso de € 1,65 bilhão pode sofrer atraso se o país não atender as expectativas do órgão.

Haja vista que o empréstimo do FMI é parte de um muito maior programa de resgate europeu para a Grécia, a Europa também pode adiar o desembolso de seus empréstimos caso o FMI atrase a liberação de sua tranche.

O fundo disse, em seu relatório de empréstimos na semana passada, que "não há espaço para deslizes", avisando que o programa poderia cair por terra se a Grécia não implementar completamente as políticas planejadas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
gréciaFMIcrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.