Empréstimo à Grécia seria conjunto, diz Alemanha

Situação do país será um dos temas que serão debatidos nas reuniões do G-7 e do G-20 no próximo fim de semana 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de abril de 2010 | 08h18

Qualquer ajuda para a Grécia virá na forma de empréstimos conjuntos de países da zona do euro (as 16 nações que adotam o euro como moeda) e não na forma de compras de bônus gregos, afirmou o vice-ministro de Finanças da Alemanha, Joerg Asmussen. O vice-ministro também disse que a Grécia será um dos temas das reuniões de ministros de Finanças e autoridades de bancos centrais do G-7 e do G-20 que acontecerão no próximo fim de semana em Washington, nos EUA.

Asmussem afirmou que, "se a ajuda financeira para a Grécia for concedida, então o caminho a se buscar será o fornecimento de empréstimos conjuntos". A Alemanha vai conceder sua parte nos empréstimos por meio do banco estatal KfW Banking Group e o crédito será garantido pelo governo. Os planos para comprar bônus "estão fora de questão", disse Asmussen. A vantagem de fornecer empréstimos conjuntos é a de que pode haver condições mais rígidas para o pagamento dessa dívida, como, por exemplo, a exigência de que sejam feitas reformas fiscais.

Os ministros de Finanças da zona do euro chegaram a um acordo no início deste mês com relação aos detalhes de um pacote de ajuda para a Grécia, por meio do qual darão ao país até 30 bilhões de euros no primeiro ano. A contribuição da Alemanha seria de 8,4 bilhões de euros. O Fundo Monetário Internacional (FMI) também deverá conceder bilhões de euros em empréstimo para a Grécia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseGréciazona do euro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.