Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Empréstimos crescem 6,6% em fevereiro, informa Banco Central

Média de concessão de crédito livre por dia ficou em R$ 13,3 bilhões; estoque de crédito chega a R$ 3 trilhões

Célia Froufe, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2015 | 10h38



A média diária de concessões de crédito livre subiu 6,6% em fevereiro em relação a janeiro, para R$ 13,3 bilhões, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira, 25, pelo Banco Central. A alta no primeiro bimestre do ano foi de 6,0% e, em 12 meses até fevereiro, de 5,2%. No crédito direcionado, a média subiu 2,4% na comparação mensal, diminuindo a baixo do ano para 4,3%, e incrementando a alta de 12 meses para 2,3%. Esse montante do crédito direcionado somou R$ 1,8 bilhão no mês passado.

Quando se junta o crédito livre mais o direcionado, a alta é de 6,1% em fevereiro, de 4,6% no primeiro bimestre e de 4,8% em 12 meses até fevereiro. O total das concessões diárias ficou em R$ 15,1 bilhões no mês passado.

Estoque de crédito. O estoque de operações de crédito do sistema financeiro subiu 0,5% em fevereiro ante janeiro e chegou a R$ 3 trilhões. No primeiro bimestre, houve alta de 0,3% e, em 12 meses até fevereiro, de 11%.

Houve aumento de 0,6% para pessoas jurídicas e alta de 0,3% para o consumidor no mês. No primeiro bimestre, a queda está em 0,4% para as empresas e em alta de 1,1% para a pessoa física. No caso do período de 12 meses encerrados no mês passado, as taxas são de crescimento de, respectivamente, 9,6% e 12,7%. 

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) permaneceu em 58,6% de janeiro para o mês passado.

Veículos. O estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoa física recuou 1% de janeiro para fevereiro. Com isso, o total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 181,9 bilhões no mês passado - em janeiro o volume foi de R$ 183,8 bilhões. No primeiro bimestre do ano, a queda nesse tipo de crédito é de 1,2% e, em 12 meses até fevereiro, de 5,2%.

Habitação. As operações de crédito direcionado para habitação no segmento pessoa física cresceram 1,2% em fevereiro ante janeiro, totalizando R$ 444,8 bilhões. No bimestre até o mês passado, a expansão foi de 3,0% e, em 12 meses até fevereiro, de 26,7%. Segundo o BC, R$ 60,5 bilhões se referem a empréstimos a taxas de mercado e R$ 384,3 bilhões a taxas reguladas. O BC deixou de incorporar nestes dados as operações com crédito livre, por serem residuais.

Projeções. Na avaliação do Banco Central, a expansão do crédito neste ano deve ser de 11%, e não mais de 12% como previa em dezembro. Com a mudança, o BC já projeta uma taxa menor para esse mercado do que a vista no ano passado, de 11,3%. "A evolução das carteiras até agora e as percepções sobre atividade econômica e o próprio mercado de crédito justificam a baixa", disse o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel.

Spread. O spread bancário médio no crédito livre subiu de 27,2 pontos porcentuais em janeiro para 28,3 pp em fevereiro. O spread médio da pessoa física no crédito livre passou de 39,9 pp para 41,7 pp. Para pessoa jurídica, o spread médio avançou de 13,6 pp para 14,0 pp no período.

Em janeiro, o spread em recursos livres havia ficado em 27,5 pp (o dado foi revisado hoje) e era o maior desde março de 2012, quando ficou em 27,9 pp. O sepread de fevereiro, portanto, é o maior agora.

O spread médio do crédito direcionado passou de 2,9 pp de janeiro para 3,0 ppem fevereiro. O spread médio no crédito total (livre + direcionado) subiu de 16,0 pp para 16,6 pp no mesmo período de comparação. O BC informou também que a taxa de captação dos bancos no crédito livre subiu de 11,9% ao ano em janeiro para 12,3% no último mês.


Tudo o que sabemos sobre:
banco centralnota de credito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.