finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Empréstimos do BNDES crescem 35% no semestre

Para Luciano Coutinho, ciclo de investimentos começa a ganhar corpo, com a aceleração industrial

Adriana Chiarini e Irany Tereza, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2007 | 05h18

Os empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) somaram R$ 24,7 bilhões no primeiro semestre, resultado 35% superior ao do mesmo período do ano passado. ''''O ciclo de investimentos começa a ganhar corpo, com a aceleração industrial'''', declarou o presidente do banco, Luciano Coutinho, ao divulgar ontem o desempenho da primeira metade do ano. Nos 12 meses encerrados em junho, o desembolso bateu recorde de R$ 58,7 bilhões.Coutinho projeta um total de investimentos no ano superior ao teto orçamentário previsto para 2007, de R$ 61 bilhões. Mas diz que o provável excedente não causa preocupação. ''''Um eventual déficit de funding será suplementado com captação de recursos, isso não é problema. Não vamos deixar de financiar por falta de funding. Já lançamos debêntures este ano. Podemos lançar mais.''''Ele salientou que está ocorrendo uma transição nos tipos de investimentos, ainda prioritariamente destinados a reequipamentos e importação de máquinas, mas já com incipiente movimento de aplicação em novas plantas industriais. ''''A aprovação de projetos novos em infra-estrutura cresceu 88% nos 12 meses encerrados em junho. Temos 126 projetos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) na carteira e isso contribuiu para a aceleração'''', disse, listando as áreas de saneamento, energia e rodovias como os principais motores.Na indústria de transformação, responsável também por grande parte dos financiamentos, ele destacou petroquímica, mineração, metalurgia, siderurgia e automobilística, que têm projetos de novas plantas em análise. ''''Não posso dizer ainda as empresas, mas estamos avaliando os projetos.''''Coutinho acredita que o reaquecimento do ciclo de empreendimentos vai se refletir numa taxa de investimentos de 18% este ano, ritmo ainda aquém da necessidade de crescimento da economia. ''''Podemos trabalhar com taxa de investimento agregada de 20% para 2008 ou 2009'''', comentou. Ele destacou que foram aprovados pelo banco de junho de 2006 a junho de 2007 financiamentos de R$ 88,3 bilhões, um incremento de 53% em relação ao período anterior.A etapa de aprovação é a intermediária entre a análise do projeto e a efetiva liberação dos recursos e indica a tendência para os meses seguintes. ''''Essa diferença de R$ 30 bilhões entre aprovações e liberações mostra que os desembolsos vão continuar aumentando'''', disse Coutinho. O total de consultas, que marcam a primeira fase do processo de pedido de apoio ao banco, foi de R$ 122,8 bilhões no período.AGRONEGÓCIOSegundo ele, ''''o câmbio baixo tem ajudado o ciclo de reequipamento industrial''''. Ele afirmou que ''''houve crescimento expressivo do investimento em máquinas e equipamentos''''. O programa de financiamento da instituição para máquinas e equipamentos, o Finame, teve crescimento de 50% em valor no semestre e de 46,5% em operações. Os números do Finame não foram informados.Coutinho também citou que haverá novas plantas em agronegócio. ''''Vamos ter uma quantidade grande em usinas de álcool e açúcar.'''' O BNDES tem acolhido projetos do setor de etanol tanto para as fases de plantio quanto para a parte industrial e de co-geração. ''''Aproxima-se o aumento da quantidade de geração de energia em etanol'''', afirmou. BALANÇO>>R$ 24,7 bilhões foi quanto o BNDES emprestou no primeiro semestre>>R$ 58,7 bilhões é o valor acumulado dos desembolsos em 12 meses>>126 é o total de projetos do PAC na carteira do banco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.