Empréstimos do BNDES crescem 40%

Desembolsos este ano já chegam a R$ 49,8 bilhões até outubro; em 12 meses, valor de R$ 66,6 milhões é recorde

Nilson Brandão Junior, O Estadao de S.Paulo

13 de novembro de 2007 | 00h00

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já somam R$ 49,8 bilhões de janeiro a outubro, 40% acima do mesmo período em 2006 e próximo dos R$ 51,3 bilhões em todo o ano passado. Levando em conta o acumulado dos últimos 12 meses, as liberações já somam R$ 66,6 bilhões, volume considerado recorde para o período, com destaque para o crescimento nos desembolsos para o setor de infra-estrutura.O crescimento nos desembolsos para a infra-estrutura é de 80% nos 12 meses encerrados em outubro, em relação a igual período anterior, num total de R$ 25,9 bilhões. Apesar da forte expansão, o crescimento está praticamente generalizado pelos setores da economia, diz o técnico do banco, Fernando Puga. No mesmo período, as liberações para a agropecuária cresceram 39%; para a indústria, 15%; e para o setor de comércio e serviços, 119%.Chama a atenção que as aprovações para a infra-estrutura, na mesma comparação, já avançaram 80% e o valor alcança R$ 37,9 bilhões, praticamente o mesmo aprovado para a indústria (R$ 38,5 bilhões), setor que tradicionalmente recebe a maior parte dos recursos do banco. As estatísticas mostram que os dois setores estão tecnicamente empatados, cada um com 43% das aprovações de R$ 88,9 bilhões, 39% acima de igual período anterior.O economista-chefe da MB Associados, Sergio Vale, avalia que a ampliação dos investimentos em infra-estrutura é uma boa notícia. "Eles devem crescer ainda mais com os investimentos projetados nas rodovias em concessão e na energia hidrelétrica, por causa do Rio Madeira. Faltam, de fato, investimentos em portos, que é uma área extremamente carente de investimentos no País", avalia o economista.Na área de infra-estrutura, o maior avanço nas aprovações foi para o setor de transporte, de 450%, num total de R$ 16,4 bilhões.A análise dos dados das aprovações é importante porque indica investimentos a serem realizados. Ainda nos 12 meses até outubro, os demais subsetores ligados à área cresceram assim: telecomunicações, 176% (para R$ 6,1 bilhões); energia elétrica, 79% (para R$ 8,4 bilhões); e construção, 89% (para R$ 3,8 bilhões).O forte desempenho do banco vem chamando a atenção do governo. No início do mês passado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, na sede da instituição, que queria que o banco de fomento "vitaminasse" a economia e chegasse a emprestar R$ 100 bilhões em 2010. O presidente do banco, Luciano Coutinho, comentou, na época, que o desempenho atual indica que os desembolsos já em 2008 poderão rondar a casa dos R$ 70 bilhões e já há estudos para fortalecer o orçamento do BNDES para o ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.