Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Empréstimos do BNDES tiveram queda de 20% em 2017, menor valor em 18 anos

Por setores, os destaques na queda foram a indústria, com recuo de 50%, e comércio e serviços, com diminuição nominal de 21% ante 2016

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2018 | 17h42

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou para empréstimos já aprovados R$ 70,751 bilhões em 2017, queda nominal (sem descontar a inflação) de 20% em relação a 2016. O valor desembolsado ano passado foi o menor desde 1999, quando o banco de fomento liberou R$ 67,859 bilhões, em valores atualizados.

+ BNDES vai devolver R$ 130 bilhões ao Tesouro neste ano, afirma diretor

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 30, no informativo Notas para a Imprensa, do BNDES. Levando em conta a atualização dos valores pelo IPCA, índice que mede a inflação tratada como oficial pelo governo, a queda nos desembolsos em 2017 ante 2016 foi de 22,4%. Os dados confirmam valores adiantados à imprensa por diretores do BNDES.

Novos financiamento. As aprovações de novos financiamentos, que ainda não foram concedidos pelo banco de fomento, totalizaram R$ 74,87 bilhões, um recuo nominal de 6% ante 2016. Já as consultas, primeira etapa do processo de pedido de crédito no BNDES, registraram R$ 99,24 bilhões em 2017, diminuição nominal de 10% em relação ao ano anterior. Os dados das consultas, geralmente, sinalizam o apetite por investimentos de longo prazo.

+ Tesouro precisa de R$ 208 bi para cumprir ‘regra de ouro’ em 2018

Por setores, o destaque na queda do ano passado foram os empréstimos para os projetos industriais. O BNDES desembolsou R$ 15,044 bilhões para a indústria, recuo nominal de 50%. Já o setor de comércio e serviços recebeu R$ 14,477 bilhões, diminuição nominal de 21% ante 2016.

Na contramão, os empréstimos de longo prazo para projetos de infraestrutura cresceram 4% em termos nominais, atingindo R$ 26,854 bilhões. Já o setor do agropecuária desembolsou R$ 14,375 bilhões em empréstimos, alta de 3% ante 2016. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.