Empréstimos dos bancos crescem 1,2% em setembro

O volume de empréstimos concedidos pelo sistema financeiro nacional registrou um crescimento de 1,2% em setembro, atingindo um total de R$ 390,136 bilhões. "O crescimento reflete maior demanda por parte das empresas, associada principalmente à intensificação sazonal dos negócios nesse período do ano", avaliam os técnicos do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central.No acumulado do ano, os empréstimos concedidos pelo sistema financeiro apresentam uma taxa de crescimento de 3,1%. As operações com recursos livres feitas com pessoas físicas registraram em setembro um aumento de 1,7%, somando R$ 84,885 bilhões. "No que concerne às famílias, a procura por recursos bancários esteve relacionada à melhora do mercado de crédito nos últimos meses, especialmente com o recuo das taxas de juros, concentrando-se em modalidades vinculadas ao consumo de bens duráveis, com destaque para o segmento de veículos", dizem os técnicos do Depec.As operações de crédito concedidas às empresas com recursos livres registraram no mês passado um aumento de 2,2%, excluindo da conta as operações feitas em moeda estrangeira. No caso das operações com recursos direcionados, o volume registrado em setembro - R$ 150,616 bilhões - representou um aumento de 1,9%. Os dados foram divulgados hoje pelo Depec. Fundos de renda fixa Depois de um ano desastroso, os fundos de renda fixa têm registrado em 2003 um movimento importante de recuperação de recursos. No mês de setembro, a captação líquida desses fundos foi de R$ 5,6 bilhões, valor bastante expressivo, segundo o chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes. "Essa é a modalidade que mais tem captado", revelou Lopes. De janeiro a setembro deste ano, os fundos de renda fixa registraram uma captação líquida de R$ 46,1 bilhões. Apesar do volume, esse ingresso de recursos ainda não foi suficiente para cobrir os resgates líquidos feitos entre janeiro de setembro de 2002, quando foram sacados R$ 58,8 bilhões desses fundos de investimento. "O ingresso é bom, mas não suficiente para cobrir os resgates líquidos de 2002", explica Altamir Lopes. As quotas dos fundos de renda fixa em setembro totalizaram R$ 368,685 bilhões, o que representa um aumento de mais de R$ 11 bilhões, em relação aos R$ 357,366 bilhões apurados em agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.