Encomendas à indústria nos EUA caem mais que o previsto

As encomendas às indústrias norte-americanas tiveram, em abril, uma queda superior à projetada pelos economistas, contrastando com dados recentes que haviam apontado estabilidade do setor manufatureiro. O Departamento do Comércio informou que as encomendas diminuíram 2,9%, para US$ 319,99 bilhões, em abril, enquanto o dado de março foi revisado em baixa. O departamento apurou uma alta de 2,1% em março, ante estimativa anterior que havia apontado crescimento de 2,2%. As encomendas de bens duráveis, um dado divulgado preliminarmente na semana passada, foram revisadas em baixa, passando a indicar queda de 2,3%, ante estimativa de 2,4% anunciada anteriormente. Os dados de encomendas gerais ficaram bem abaixo da previsão dos analistas de declínio de 1,8% no mês. No entanto, os dados mais recentes, referentes a maio, sugerem que o setor estaria se estabilizando, conforme ressaltou o presidente do Federal Reserve, Alan Greenspan, na terça-feira.O relatório mostrou que as encomendas de bens não-duráveis caíram 3,5%, revertendo a alta de 2,9% de março. A demanda menor por produtos foi sentida em várias áreas. As encomendas de itens relacionados a transportes diminuíram 5,1%, pressionadas pelo declínio de 26,4% de itens relacionados a equipamentos de defesa aérea. Encomendas de carros caíram 1,5%, enquanto a de aeronaves civis aumentaram 48,6%. Excluindo os itens de transporte, as encomendas teriam caído 2,4% em abril. Expurgando as encomendas de itens relacionados à área de Defesa, a queda teria sido de 2,4%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.