Encomendas à indústria sobem 9,5% na zona do euro

As encomendas à indústria nos 16 países que compõem a zona do euro tiveram, em dezembro, sua maior alta anual em 20 meses, segundo informações divulgadas hoje pela agência de estatísticas da União Europeia (Eurostat). O resultado deve-se a um forte salto nas encomendas na França e à elevação na demanda por bens de capital.

CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

24 de fevereiro de 2010 | 10h38

As encomendas subiram 0,8% em dezembro em relação a novembro e avançaram 9,5% na comparação com dezembro do ano passado, a maior alta anual desde abril de 2008 e a primeira desde julho de 2008. Em novembro, as encomendas avançaram 2,7% em base mensal e caíram 0,6% em base anual. Os dados de dezembro superaram a previsão dos economistas.

A Eurostat informou que as novas encomendas na França, a segunda maior economia da zona do euro, saltaram 17,1% em dezembro, ante novembro, e 20,4% na comparação com dezembro do ano anterior. Na Alemanha, a maior economia do bloco, as encomendas caíram 1,8% em base mensal e subiram 6,1% na comparação anual.

As novas encomendas de bens de capital, que excluem maquinários e equipamentos utilizados para produzir outros bens, saltaram 7% em dezembro. Este foi o maior avanço mensal desde meados de 2007, pouco antes de a crise de crédito global começar a pesar sobre a economia. Em termos anuais, as encomendas de bens de capital saltaram 15,6%, a maior elevação desde o fim de 2007.

As encomendas à indústria excluindo equipamentos de transporte pesado, como navios e equipamentos aeroespaciais e para ferrovias, caíram 0,4% em dezembro, em base mensal, e subiram 8,1% em termos anuais. Este foi o maior ganho anual desde abril de 2008. Para todo o ano de 2009, as novas encomendas na zona do euro registraram alta recorde de 22,6% em relação a 2008, após queda de 5,5% em 2008, segundo a Eurostat. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
encomendas, indústria, zona do euro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.