Encomendas de bens duráveis sobem 2% em março nos EUA

As encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos subiram 2,0% em março, para US$ 173,6 bilhões, após uma queda revisada de 1,5% em fevereiro, informou o Departamento de Comércio do país. O número ficou acima das expectativas de analistas. Uma pesquisa realizada pela Dow Jones-CNBC produziu uma estimativa média de queda de 0,5%. Os dados de bens duráveis estão altamente voláteis e analistas alertam contra o uso desses índices mensais como um bom parâmetro de indicação sobre qual direção a economia dos EUA está tomando. O dado de março mostrou que o aumento foi amplo, com ganhos em todas as categorias de produtos, exceto em encomendas de aviões de passageiros, carros e metais primários. Um salto de 132,7% com encomendas de aviões de defesa elevou as encomendas do setor de transporte em 2,4% em março. Excluindo esse item, as encomendas de bens duráveis teriam aumentado 1,8% no mês. As encomendas com bens de defesa aumentaram 16,1%, Excluindo esse item, as encomendas totais teriam aumentado 1,3%. Auxílio-desemprego: maior nível em um ano Já o número de pedidos de auxílio desemprego nos EUA aumentou 9 mil, para 455 mil na semana terminada em 19 de abril, informou o Departamento de Trabalho do país. Esse é o maior nível em um ano. Analistas estimavam que os pedidos fossem cair em 12 mil. Um porta-voz do Departamento disse que não tinha explicações para o crescimento. A média das últimas quatro semanas, que diminui o efeito de flutuações semanais, também ficou no maior nível em um ano, de 439.250. Nas últimas dez semanas, os pedidos iniciais estiveram acima da marca de 400 mil, um nível que os economistas associam com um economia fraca. A maioria dos analistas não espera uma recuperação até o verão. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.