Endividamento aumenta entre paulistanos, diz Fecomercio

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostrou que 54,4% das famílias paulistanas estavam endividadas em outubro. O resultado é 1,8 ponto porcentual (p.p.) superior ao registrado em setembro e está 5,5 pontos porcentuais acima dos 48,9% verificados em outubro de 2012.

GABRIELA LARA, Agencia Estado

08 de novembro de 2013 | 11h33

Segundo a FecomercioSP, a alta no endividamento demonstra que o consumidor ainda tem dificuldades em equilibrar seu orçamento familiar. "As famílias buscam novas formas de financiamento para manter os padrões de consumo, comprometendo a renda com dívidas", afirmou a Federação em nota.

O total de famílias endividadas passou de 1,885 milhão em setembro para 1,949 milhão em outubro, em números absolutos. Em outubro de 2012, esse número era de 1,754 milhão. Entre as famílias que recebem até dez salários mínimos, o volume de endividamento foi de 58,5%, avanço de 0,9 ponto porcentual em relação a setembro. Já naquelas com renda superior a essa faixa, o endividamento foi de 42,3%, elevação de 4,4 pontos porcentuais em relação ao mês anterior.

"As famílias com renda mais baixa sentem mais rápido os efeitos da alta dos preços e, por isso, aumentam o seu endividamento por meio de crédito para manter o consumo", avaliou a federação. Segundo a pesquisa, o principal tipo de dívida é o cartão de crédito, utilizado por 69,7% das famílias analisadas. Em seguida estão carnês (16,3%), financiamento de carro (16%), crédito pessoal (13,8%), financiamento de casa (9,4%) e cheque especial (7,8%).

Tudo o que sabemos sobre:
endividamentoSPFecomerciooutubro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.