Endividamento cai para menor nível desde 2009

Endividamento | Criar infográficos

O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2015 | 02h05


O número de famílias endividadas em São Paulo caiu pela sexta vez consecutiva em janeiro. Segundo levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), 39,3% das famílias paulistas tinham algum tipo de dívida no mês passado - menor patamar desde fevereiro de 2009.

Na comparação com o ano passado, a queda é expressiva: em janeiro de 2014, as dívidas comprometiam o orçamento de 54,7% das famílias paulistas - mais de 15 pontos porcentuais do que no primeiro mês deste ano.

Para Fernanda Della Rosa, assessora econômica da federação, o consumidor colocou o pé no freio nos financiamentos por falta de confiança. "Observamos que 2014 foi marcado pelo pessimismo e pela cautela por parte do consumidor, atrelados à inflação, que foi mostrando sinais de evolução", diz.

Ela pontua que, diferentemente do que aconteceu em outros momentos, a desaceleração econômica atual vem sendo acompanhada pela queda na inadimplência. "Pode parecer contraditório, mas a queda no nível do endividamento acontece muitas vezes pelo desaquecimento da economia. Não é que o consumidor não pode comprar, mas ele se segura para não comprar", explica.

O endividamento permanece maior em famílias de baixa renda, que são mais impactadas pela alta da inflação e dos juros. Em janeiro, 42% das famílias que ganham até dez salários mínimos estavam endividadas, ante 31, 3% das que dispõem de maior renda.

Para os próximos meses, segundo Fernanda, a tendência é que os indicadores permaneçam estáveis ou caiam um ou dois pontos porcentuais, tendo em vista o aumento nas contas de combustível, energia e transporte público. "Cada vez há uma pressão sobre a renda imediata, as pessoas deixam de fazer financiamentos", diz. / ANNA CAROLINA PAPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.