Endividamento das famílias cai pela primeira vez no ano em setembro

Segundo o BC, a dívida total dos brasileiros correspondia, em setembro, a 44,39% da renda acumulada nos últimos 12 meses, abaixo do recorde de 44,50% de agosto 

Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

28 de novembro de 2012 | 17h59

BRASÍLIA - O endividamento das famílias brasileiras caiu pela primeira vez no ano, depois de subir por oito meses seguidos. Segundo o Banco Central, a dívida total dos brasileiros correspondia, em setembro, a 44,39% da renda acumulada nos últimos 12 meses, abaixo do recorde de 44,50% de agosto. Também houve queda no comprometimento da renda do consumidor com o pagamento mensal de dívidas, que recuou pelo segundo mês, para 22,0% dos salários, ante 22,2% no mês anterior.

O porcentual ainda está próximo do recorde de 22,4% de outubro de 2011.

Esse último dado é dividido em duas partes. A parcela das prestações que corresponde ao pagamento de juros caiu pelo terceiro mês, de 7,79% em agosto para 7,62% em setembro, menor nível em 15 meses. Já a parte que se refere à amortização do principal das dívidas caiu pelo segundo mês, de 14,41% para 14,38% no mesmo período.

O comprometimento da renda é apurado pelo BC com base nos valores mensais a serem pagos no serviço das dívidas, apenas com o sistema financeiro, e na renda das famílias (descontados os impostos), expressa na Massa Salarial Ampliada Disponível. O endividamento total considera a massa salarial em 12 meses. Os números são revisados e atualizados mensalmente pela instituição.

Tudo o que sabemos sobre:
endividamentofamílias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.