Energia é fundamental para integração entre Brasil e Chile

O chanceler do Brasil, Celso Amorim, considerou ontem que a "energia" constitui um instrumento "fundamental para a integração sul-americana" e confirmou a validade do projeto que impulsiona um gasoduto regional, após uma reunião com a presidente do Chile, Michelle Bachelet."A energia é absolutamente fundamental para a integração e quanto mais integração tivermos, será mais viável encontrar pontos em comum para outras questões", afirmou Amorim.Amorim referia-se ao tema da integração energética que foi discutido na reunião que manteve com Bachelet e o chanceler chileno, Alejandro Foxley, com quem organizou a próxima visita da presidente chilena ao Brasil, em 10 e 11 de abril."Talvez porque não temos fronteiras, podemos trabalhar tão bem para uma integração da América do Sul", afirmou o chanceler brasileiro. Amorim salientou que "no Brasil há uma disposição muito favorável em relação ao anel energético, que não exclui ninguém e certamente é para todos"."Nós entendemos que o Chile tem uma necessidade natural de garantir o abastecimento de energia, como tem o Brasil, mas o importante é analisar estes pontos de uma perspectiva sul-americana", manifestou.O ministro afirmou que a principal conclusão de seu diálogo com as autoridades governamentais chilenas foi que "não há nenhuma incompatibilidade entre as necessidades específicas de cada país e a necessidade de integração sul-americana".O chanceler brasileiro foi enfático ao afirmar que a Bolívia não pode estar fora deste anel energético, reiterando que hoje o Brasil compra cerca de US$ 600 milhões em gás deste país. Amorim também admitiu que depois das eleições "há uma nova realidade política na América do Sul". Para o chanceler, esta nova realidade "não significa uma visão de confrontação com outros países ou outras regiões" e, pelo contrário, "pode ser útil para o conjunto das relações da América do Sul com outros continentes e países, incluindo os Estados Unidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.