Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Energia elétrica poderá ter conta pré-paga

Modelo semelhante ao dos telefones celulares deve ser oferecido a partir do segundo semestre para interessados em controlar melhor os gastos

Karla Mendes / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2011 | 00h00

Os consumidores de energia elétrica podem ter em breve a opção de pagar previamente pelo serviço e monitorar seus gastos, como já ocorre na telefonia celular. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer regulamentar a modalidade de pré-pagamento da conta de energia elétrica, a exemplo da telefonia móvel, no segundo semestre deste ano, como uma opção a mais ao consumidor.

Essa modalidade propiciará ao consumidor ter maior controle sobre seu consumo de energia elétrica, pela possibilidade de monitoramento em tempo real, além de avisos sonoros e luminosos, quando os créditos estiverem próximos de se esgotar.

A adoção do pré-pagamento de energia, porém, depende ainda da regulamentação para medidores adequados, questão que está sendo estudada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), com participação da Aneel. A implantação do sistema "será junto com o smart grid (medidores inteligentes)", afirmou ontem Nelson Hubner, diretor-geral da Aneel, depois de participar de audiência pública no Senado.

Na nova proposta, além de oferecer ao consumidor a modalidade pré-paga, os medidores inteligentes permitirão a aplicação de tarifas diferenciadas por horário de consumo e o uso de uma série de serviços, como o monitoramento remoto dos eletrodomésticos que estão ligados e até mesmo a facilidade de programar o micro-ondas para aquecer um alimento enquanto a pessoa estiver no trabalho, por exemplo.

A adoção do procedimento depende de regulamento específico, que está em fase de elaboração e ficará disponível para participação da sociedade, por meio de consulta e audiência pública.

Hubner explicou que em alguns locais funcionam em caráter experimental medidores pré-pagos, por causa da dificuldade de se fazer a medição do consumo de energia elétrica. A primeira iniciativa ocorreu em 2005, quando a Aneel autorizou a Ampla a implantar o sistema de faturamento na modalidade pré-pago com o propósito de atender aos consumidores localizados na sua área de concessão, no Rio de Janeiro.

Tarifa social. A Aneel vai prorrogar até 1.º de julho o prazo de cadastramento para que consumidores de baixa renda garantam o benefício da tarifa social de energia elétrica. O prazo anteriormente estabelecido expirava em 1.º de junho.

A prorrogação, segundo Hubner, se justifica em razão do baixo nível de "coincidência" das informações das distribuidoras de energia elétrica sobre os beneficiários da tarifa social com o cadastro do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome de consumidores que têm direito a benefícios sociais do governo.

Segundo Hubner, se o prazo não fosse prorrogado, poderia haver um "transtorno grande" para muitos consumidores que são de baixa renda e que perderiam o benefício. Atualmente, 18 milhões de consumidores têm acesso ao benefício, dos quais 12 milhões já se recadastraram.

Em São Paulo, por exemplo, Hubner destacou a dificuldade de fazer o cadastramento dos consumidores, em função do grande número de clientes.

Letícia Bartolo, diretora do Departamento de Cadastro Único da Secretaria Nacional de Renda e Cidadania do ministério, disse que a Eletropaulo se dispôs a apoiar financeiramente ações de cadastramento, porque o Estado não consegue cadastrar sozinho mais de 300 mil famílias.

Adaptação

NELSON HUBNER

PRESIDENTE DA ANEEL

"A implantação do sistema será feita junto com o smart grid (medidores inteligentes)."

"Em alguns locais, funcionam em caráter experimental medidores pré-pagos, por causa da dificuldade de se fazer medição do consumo de energia elétrica."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.