Energia pressiona e inflação ao consumidor nos EUA sobe

Resultado ficou em 0,8% em novembro. Foi a maior taxa desde setembro de 2005 e superou a previsão de 0,6%

Reuters,

14 de dezembro de 2007 | 12h02

O índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos subiu mais que o esperado em novembro, em 0,8%, a maior alta em mais de dois anos, em razão de maiores custos de energia, informou o Departamento de Trabalho nesta sexta-feira. Foi a maior taxa desde setembro de 2005 e superou a previsão de analistas, que era de 0,6%. Os preços de energia saltaram 5,7%. A energia foi responsável por quase 70% do índice do mês, segundo uma autoridade do Departamento de Trabalho. O núcleo do indicador - que exclui os preços de energia e alimentos - subiu 0,3%, a maior variação desde janeiro. Economistas ouvidos pela Reuters previam alta de 0,2% para o núcleo. Os preços ao consumidor em geral estão 4,3% mais altos que há um ano, a maior alta desde junho de 2006 e acima da expectativa de analistas de 4,1%. O núcleo registrou avanço de 2,3% sobre novembro de 2006, em linha com as expectativas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.