Enfraquecida, Bolsa sobe apenas 0,42% na semana

A Bovespa teve novamente um desempenho aquém das bolsas em Nova York, que fecharam em ligeira alta, enquanto aqui a queda foi de 0,85%, para 67.089,12 pontos. Na semana, a alta foi de 0,42%. A Bolsa se enfraqueceu pela queda das ações ligadas aos metais, em meio às renovadas dúvidas sobre o estágio do crescimento da economia mundial e ao jogo de forças com Petrobrás e Vale que antecede o vencimento de opções sobre ações na segunda-feira, Vale PNA caiu 1,04% e a ON declinou 1,34%. Após oscilar durante o dia, as ações de Petrobrás subiram 0,73% (ON) e 0,30% (PN). Ontem, a estatal anunciou aumento de 20% no lote adicional da oferta pública global de ações, o que pode elevar a oferta total para R$ 133,7 bilhões. A deterioração do índice de sentimento do consumidor dos EUA, que retrocedeu ao nível de um ano atrás, e o ressurgimento dos temores em relação à situação fiscal de alguns países da zona do euro, deixaram os investidores mais inseguros quanto à recuperação global. Nos EUA, o índice Dow Jones avançou 0,12%; S&P500 +0,08% e Nasdaq +0,54%, favorecidos pelos lucros de algumas empresas de tecnologia.

Cenário: Sueli Campo, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2010 | 00h00

Uma certa cautela do mercado ante as notícias de que o governo prepara ofensiva contra uma valorização mais acentuada do real por causa da entrada de recursos estrangeiros para a capitalização da Petrobrás levou o dólar a subir ante o real. No balcão, a moeda norte-americana fechou em alta de 0,23%, a R$ 1,7180. Na semana, o dólar registrou baixa de 0,12%.

Nos juros, a volatilidade deu as cartas em meio a correções técnicas e ao crescente debate sobre a taxa Selic em 2011. O contrato do juro de janeiro de 2012 subiu de 11,40% para 11,42%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.