Volkswagen/Divulgação
Volkswagen/Divulgação

Engenheiro da Volkswagen é condenado a 40 meses de prisão nos EUA

Sentença se deve a participação em esquema da montadora para vender carros movidos a diesel mais poluentes do que o permitido, conhecido como 'Dieselgate'

Reuters

25 Agosto 2017 | 17h08

WASHINGTON/DETROIT – Um juiz federal em Detroit sentenciou o ex-engenheiro James Liang a 40 meses de prisão nesta sexta-feira, 25, por seu papel no esquema da Volkswagen para vender carros movidos a diesel mais poluentes do que o permitido pelas leis ambientais norte-americanas.

Liang se declarou culpado no início do ano e cooperou com autoridades policiais que investigam a montadora.

Os procuradores recomendaram na semana passada que o engenheiro fosse condenado a três anos de prisão, enquanto seus advogados pediram prisão domiciliar.

+Volkswagen já recomprou metade dos carros do 'Dieselgate'

O juiz Sean Cox disse a Liang em audiência que ele fazia parte de uma conspiração de longo prazo que cometeu uma “fraude assombrosa para o consumidor norte-americano. Este é um crime muito grave e preocupante contra o nosso sistema econômico.”

Cox ainda determinou que o engenheiro pague uma multa de 200 mil dólares, 10 vezes o montante recomendado pelos procuradores. O juiz disse esperar que a sentença impeça condutas semelhantes de outros engenheiros e executivos da indústria.

Liang pode apelar da decisão, segundo Cox.

Mais conteúdo sobre:
Volkswagen

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.