Paulo Liebert/Estadão
Paulo Liebert/Estadão

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Venda de carros usados cresce 3,5% em maio, enquanto a de novos cai

De acordo com a Fenauto, foram vendidos 1.103.344 veículos seminovos e usados em maio deste ano; vendas de modelos com até 3 anos de uso cresceram 5,5%

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

03 de junho de 2015 | 14h22

SÃO PAULO - Após recuar 6,3% em abril ante março, a venda de veículos seminovos e usados no Brasil voltou a crescer em maio, ao avançar 3,5% em relação ao mês anterior, mostra balanço da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). Na comparação com maio do ano passado, porém, a comercialização se manteve praticamente estável. 

De acordo com a Fenauto, foram vendidos 1.103.344 veículos seminovos e usados em maio deste ano, mais do que os 1.065.653 em abril e praticamente igual aos 1.103.156 comercializados em maio do ano passado. Com o resultado, a comercialização no País acumula alta de 2,3% neste ano até maio, ao somar 5.277.436 unidades. O porcentual representa uma desaceleração da alta no acumulado do ano, que era de 2,87% até abril. 

As vendas de veículos usados continuam apresentando desempenho bem melhor do que a de novos. Em maio, os emplacamentos caíram 3,04% na comparação com abril e 27,5% em relação ao mesmo mês do ano passado, conforme dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) na segunda-feira. No ano, os licenciamentos de veículos novos acumulam retração de 20,9% até maio.

Segmentos. A maior alta nas vendas entre usados ocorreu entre os modelos com até 3 anos de uso, que cresceram 5,5% em maio ante abril e 40,1% na variação anual. Na análise por segmento, o maior aumento na comercialização em maio na comparação mensal foi verificado nos comerciais leves usados (5,8%), seguidos por automóveis (3,5%) e comerciais pesados (3,5%). A vendas de motos usadas teve a menor alta (1,7%). 

Para o presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos, os números de maio mostram um "movimento de acomodação" em patamares positivos. "Acredito que um comprador que esteja bem informado sobre as condições que o mercado de seminovos está oferecendo, pode realizar um bom negócio, já que temos bons estoques e muitas oportunidades de negócios nas lojas", afirma em nota à imprensa.

De acordo com o último balanço divulgado no ano passado, a Fenauto congrega 24 associações de revendedoras de veículos em quase todos os estados brasileiros, que somam 48 mil revendedoras multimarcas associadas em todo o País. Juntas, essas empresas geram 620 mil empregos diretos e indiretos.  No ano passado, elas faturaram R$ 310 bilhões em 2014. Já a carteira de financiamento somou R$ 170 bilhões. 

Tudo o que sabemos sobre:
carrosautomóveisvendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.