Enquete mostra que maioria é contra uso do FAT para dívida

O refinanciamento da dívida dos produtores agrícolas por meio de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) parece não ter agradado a população brasileira. Em enquete feita pelo estadão.com.br, 80,57% dos leitores se declararam contra a edição da Medida Provisória (MP) que destinaria R$ 2,2 bilhões do FAT para esse fim."O setor agrícola é importante. Isso não está em discussão. Mas ampará-lo com recursos do FAT, além de inusitado é também arriscado, se considerarmos a incerteza que caracteriza a dinâmica dos financiamentos agrícolas (calotes e refinanciamentos sucessivos realizados pelo governo)", afirma o leitor Sérgio Andrade.Confirmando o que diz Andrade, diversos leitores questionaram se o dinheiro emprestado do fundo de fato voltaria para sua origem. "Quem se responsabilizará pelos custos financeiros e pela devolução do mesmo no prazo devido?", pergunta Benedito Pereira. "Quem garante que quem deve hoje não vai continuar devendo? Quem pagará a conta será o povo", completa o leitor Pedro Correa."O governo tem outras fontes de recursos para utilizar no crédito agrícola. A questão é que este governo não administra corretamente os seus recursos, misturando todas as fontes e destinações", diz Luiz Wilson Pina. José Vidal, que também participou da enquete, acrescenta: "Cada segmento deve ter a respectiva dotação orçamentária.""O governo está com pós-graduação em uso de recursos com desvio de finalidades", reclama Julia Nishikawa.EmpregoPara os leitores, os recursos do FAT devem ser utilizados em benefício do trabalhador, que vem tendo dificuldades para entrar e se manter no mercado de trabalho."O dinheiro do FAT é para ser utilizado em benefício dos empregados nos diversos setores econômicos, e não para financiar as atividades produtivas. Para isso, já existem muitos outros recursos em outras fontes", acentua Pina. "O FAT deveria estar fomentando a geração de novos empregos e amparando os trabalhadores desempregados", afirma José Aparecida Campos. Ricardo Aleixo concorda: "Se algo tem que ser feito com esse fundo é um trabalho de requalificação profissional que devolve a cidadania aos trabalhadores desempregados."A construção e financiamento de casas ou a destinação para a Previdência são outras utilidades sugeridas pelos leitores para os recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador. ApoioAlguns leitores, porém, apóiam a medida, sustentando que a agricultura é uma importante atividade no País, e que merece, portanto, o apoio do governo. "O governo tem que apoiar o setor primário, que é um grande gerador de empregos diretos e indiretos, e que gera grandes divisas para o País", opina o leitor Dimas Lemos."A agricultura tem uma necessidade enorme e sempre terá de buscar recursos para financiá-la", afirma Lucas de Paula. "É bom lembrar que não é uma doação e sim um empréstimo, que o produtor irá pagar ao longo do prazo."Nilton Francisco Busatto vai além, e afirma que "o governo deve não só renegociar as dívidas como também abonar as dívidas dos pequenos produtores, que são os que produzem alimentos básicos para a população".Decisão finalO governo deve ceder às pressões, principalmente das centrais sindicais, e adiar a edição da MP. Nesta terça-feira, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que a avaliação de seus técnicos é contrária à utilização dos recursos do fundo para o financiamento de dívidas agrícolas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.