Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Entenda: Como funciona a remessa?

Yolanda Fordelone, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2014 | 06h10

O interessado vai a uma corretora ou correspondente e se cadastra para fazer o envio de dinheiro. Neste cadastro é solicitada a indicação do familiar que irá retirar a quantia. A maioria pede que o pagamento seja feito em dinheiro, mas algumas casas emitem boleto. A lista de locais conveniados onde o saque pode ser feito sai na hora e o valor fica disponível ao familiar entre 15 minutos a uma hora após o pagamento. Há IOF de 0,38% na transação, além do custo da corretora, que em média é de 5% do valor transferido. Pela regras do Banco Central, há um limite de envio de US$ 3 mil por dia.

Tudo o que sabemos sobre:
remessascorretoras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.