Entidade recomenda que caminhoneiro suspenda viagens

A direção do Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), que representa os motoristas de cargas autônomos, recomendou aos associados que suspendam as viagens a partir desta terça-feira. O movimento orienta quem estiver com o caminhão vazio a não carregar e, se estiver carregado, não viajar. O motivo é a fiscalização para o cumprimento da nova legislação, a Lei 12619/12, que prevê, sob pena de multa, descanso obrigatório de 30 minutos a cada quatro horas de direção e 11 horas diárias de repouso, além de motorista auxiliar e proibição de pernoite na cabine do veículo.

VENILSON FERREIRA, Agencia Estado

11 de setembro de 2012 | 17h05

O deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP), coordenador da bancada do Transporte Rodoviário de Carga na Câmara dos Deputados, disse que ainda tem esperanças de que o governo concorde com o adiamento do início da fiscalização por 240 dias, a fim de que a lei possa ser reformulada pelo Congresso Nacional. Representantes de vários ministérios (Cidades, Justiça, Trabalho e Transportes) estão reunidos nesta tarde para discutir a questão.

O movimento dos caminhoneiros defende a paralisação da atividade argumentando que, para cumprir a chamada Lei do Descanso, o transportador terá uma despesa adicional de 35%, com a queda de produtividade, redução do número de viagens, motoristas auxiliares, despesas com estacionamento, além de outras. Segundo a entidade, em vários pontos do País alguns motoristas já suspenderam os carregamentos, "por total impossibilidade de reajustar os valores dos fretes".

Tudo o que sabemos sobre:
caminhoneiroslei do descanso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.