Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Entidades divulgam carta contra milho transgênico

Manifesto faz um relato de críticas à posição da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança

Sandra Hahn, da Agência Estado,

11 de fevereiro de 2008 | 13h22

Mais de cem entidades assinam carta aberta aos ministros do Conselho Nacional de Biossegurança contra a liberação comercial de variedades de milho transgênico no País. O manifesto, divulgado hoje, faz um relato de críticas à posição da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) e pede que os ministros rejeitem a liberação do produto. "Senhores ministros, confiamos que a responsabilidade dos cargos públicos que vos foi confiada e o respeito ao meio ambiente e à biodiversidade, à saúde da população, guiarão vossa decisão", afirma o texto, citando que o conselho deve se reunir amanhã para avaliar a questão. Entre os argumentos contrários à autorização, as entidades afirmam que o milho é alimento de uso diário da população e que "a impossibilidade de coexistência (com variedades convencionais) causará enormes prejuízos aos mais de quatro milhões de agricultores familiares e tradicionais do País". As entidades questionam as regras de coexistência e monitoramento do cultivo definidas pela CTNBio e recordam manifesto anterior que apontava ausência de "estudos sobre impactos à saúde humana, o direito de não plantar e não consumir transgênicos e a defesa da soberania sobre nossas sementes e nossos alimentos".

Tudo o que sabemos sobre:
Milho transgênico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.