Entidades estimam aumento de 10% nas exportações

As principais entidades do País ligadas ao comércio exterior acreditam que as exportações brasileiras crescerão aproximadamente 10% neste ano em relação ao ano passado. As projeções confirmam as estimativas do próprio governo, que busca aumentar as vendas externas nesse porcentual. A expansão levará a um superávit na balança comercial em torno de US$ 15 bilhões. A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) estima crescimento de 9,4%, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) de 8,5% e a Fundação Centro de Estudos de Comércio Exterior (Funcex), a mais otimista, de 10%.No caso das importações, a expectativa é que voltem a crescer neste ano, após a queda do ano passado, especialmente em conseqüência da recuperação prevista para a indústria e o aumento do preço do petróleo. A CNI acredita que as importações vão crescer 5,8%; a AEB 10,4% e a Funcex, entre 6% e 8%.A coordenadora do boletim de comércio exterior da CNI, Maria do Perpétuo Socorro, disse que as projeções da entidade para 2003 levam em conta crescimento da economia mundial e bons preços para as commodities. No entanto, ela admitiu que uma guerra entre os Estados Unidos e o Iraque representa "um fator de risco" para o desempenho do comércio exterior brasileiro neste ano. A economista disse que é impossível prever os efeitos da guerra porque dependerão de uma série de fatores, como a própria duração do conflito e, especialmente, seus impactos na economia mundial como um todo.A Funcex também avalia que uma eventual guerra no Oriente Médio poderia provocar efeitos negativos sobre a balança, especialmente sobre os preços do petróleo e sobre o crescimento das exportações de manufaturados, devido a uma possível desaceleração do crescimento mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.