Entra em vigor barreira da UE ao frango brasileiro

A União Européia aumentou desde esta segunda-feira de 15% para 75% a taxação sobre os cortes de peito de frango salgados exportados pelo Brasil. O aumento da tarifa decorreu de uma mudança na classificação do produto, conforme o seu teor de sal.Para o governo brasileiro esta foi mais uma manobra para brecar as exportações nacionais do produto. Na tentativa de reverter a medida, o Itamaraty já encaminhou um pedido de consultas ao Comitê de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio (OMC).O diretor-executivo da Associação Brasileira das Empresas Exportadoras de Frango (ABEF), Cláudio Martins, disse que a medida terá impacto maior sobre as exportações brasileiras a serem embarcadas a partir de 2003. Segundo ele, os embarques deste ano já foram praticamente encerrados, porque muitos importadores, sabendo do aumento da taxação, anteciparam seus pedidos para garantir seus estoques.A União Européia tem até o dia 18 de novembro para responder se aceita ou não o pedido de consultas feito pelo Brasil. O diretor da ABEF observou que a medida é tão arbitrária que nem todos os países europeus concordam com ela. "Somente a França e a Itália estavam dispostas a elevar a taxa de importação. A Alemanha é contra, e o Reino Unido ainda não se manifestou", afirmou.Segundo ele, a restrição às importações brasileiras de frango é um "tiro no pé" dos próprios europeus. "Os estoques irão acabar, e os preços irão subir, porque a Europa não tem condições de atender a demanda do seu mercado interno", salientou.Na próxima semana, o Ministério da Agricultura enviará uma missão técnica à Holanda e à Alemanha para conhecer a tecnologia usada pelos laboratórios da União Européia (UE) para detectar a presença de nitrofurano nas carnes de frango. O nitrofurano é um antibiótico proibido no Brasil desde maio e que, apesar disso, vem sendo encontrado pelas autoridades sanitárias européias em frango exportado por empresas brasileiras.De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Luiz Carlos de Oliveira, a visita faz parte do esforço que o Brasil fará para uniformizar a metodologia de testes com a UE, visando reduzir as barreiras que vêm sendo impostas às vendas externas do produto brasileiro.Além de enviar os técnicos, o Ministério da Agricultura, segundo ele, está adquirindo mais um equipamento para complementar os já existentes nos laboratórios oficiais do Brasil.A nova aquisição vai permitir a realização dos testes por meio de um espectômetro de massa, para detectar o nitrofurano, semelhante ao usado pela UE em seus laboratórios. A visita e a aquisição do equipamento foram decididas depois que o secretário esteve em Bruxelas (Bélgica), na semana passada, e não obteve êxito na tentativa de reverter a decisão da UE de analisar 100% das importações brasileiras de frango e não mais somente 3% dos carregamentos, como vinha fazendo até o dia 12 deste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.