finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Entrada da Vivendi é saudável, diz Sardenberg

Presidente da Anatel diz que grupo tem experiência na produção de conteúdo e trará conhecimento ao País

GERUSA MARQUES, Agencia Estado

16 de novembro de 2009 | 10h21

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Ronaldo Sardenberg, afirmou nesta segunda-feira, 16, que a entrada do grupo francês Vivendi com a compra da operadora GVT é saudável para a economia brasileira e para o setor de telecomunicações. "Agora, teremos mais um grande grupo (de telefonia) atuando no Brasil. Serão cinco grandes grupos", afirmou Sardenberg, referindo-se ao fato de já operarem no País a Telefônica, a Oi, a Tim e o grupo Telmex, dono da Embratel e da Claro.

 

Sardenberg observou que a Vivendi tem experiência também na produção de conteúdo e que a empresa já anunciou que pretende trazer esse conhecimento para o Brasil. Na semana passada, a Anatel aprovou, sem impor condições, o pedido de anuência prévia feito pela Vivendi para a compra da GVT. Na mesma reunião, a Anatel aprovou autorização para venda da GVT à Telefônica, que acabou não se concretizando.

Sardenberg reiterou que está empenhado em lançar o quanto antes licitações de novas licenças para o setor de telefonia, especialmente a chamada Banda H, da telefonia celular. Ele previu que as próximas licitações despertarão grande interesse das empresas. "Está havendo um aumento de interesse pelo Brasil. Isso tende a fazer com que as licitações sejam competitivas", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
telefoniaAnatelVivendi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.