Entrada de investimentos diretos pode ser revista

O BC poderá rever a sua previsão de entrada de US$ 4 bi de investimentos diretos estrangeiros nas privatizações este ano devido ao fracasso do leilão da banda C da telefonia móvel e ao baixo interesse provocado pelos leilões de venda das bandas D e E. A possibilidade foi admitida à Agência Estado pelo consultor do Departamento Econômico do BC (Depec) e coordenador do grupo de Relações com Investidores do BC, Gustavo Bussinger. "Esse número pode vir a ser revisto sim. Como é uma concessão muito grande (a da telefonia móvel), isso pode influenciar", disse. Em dezembro, ao divulgar a previsão, o diretor de Assuntos Internacionais do BC, Daniel Gleizer, afirmou que "pelo menos US$ 3 bi" dos US$ 4 bi esperados deveriam vir da privatização das bandas C, D e E da telefonia. "Este é um ano particularmente ruim em que o setor de telecomunicações está sendo muito atingido no mundo inteiro", lembra o ex-presidente do Banco Central Gustavo Loyola. "Aqui no Brasil talvez tenha muita banda, muita empresa, nenhuma delas com rentabilidade viável, contribuindo para uma frustração da expectativa de entrada desses recursos estrangeiros", comenta ele que é sócio da Tendências Consultoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.