Entrega com frete grátis pode demorar 60 dias úteis

O boom de compras de mercadorias na internet, sobretudo da China, tem explicação simples: preço. Com alguns cliques, é possível comprar produtos por uma fração do que é cobrado nas lojas. Perto deles, as pechinchas que fazem a alegria de brasileiros em Miami empalidecem. Muitas vezes, a compra viaja meio mundo sem que o consumidor pague mais por isso. O inconveniente: demora para chegar. Em alguns casos, o prazo do serviço postal no exterior é de até 60 dias úteis.

O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2014 | 02h08

"O preço é muito bom", diz a analista de sistemas Priscila Medeiros de Oliveira. "Comprei uma capinha de celular, que aqui custa R$ 30 ou R$ 40, por pouco mais de R$ 4." Ela gostaria de comprar mais, mas não o faz por causa do tempo que a mercadoria leva para chegar.

A doméstica Maria Geraldina Oliveira comprou roupas para a neta na China, com ajuda da patroa. "Tem muita opção e, pela qualidade, é barato", diz. "São coisas que a gente não compra aqui por esse preço." Para consumidores que se valem do frete grátis, o prazo continuará longo, diz José Ademar de Souza, do Departamento Internacional dos Correios. Nesses casos, o produto muitas vezes demora a sair do país. "Temos notícia de mercadoria que ficou 22 dias úteis esperando embarque".

Quem não quer pagar mais pelo serviço expresso de entrega precisa ter paciência. Ele alerta, por exemplo, que o consumidor que quer aproveitar as ofertas do Black Friday nos EUA, em novembro, para comprar presentes de Natal, corre o risco de ter de adiar a festa ou pagar pelo serviço mais caro.

No fim de 2013, Receita e Correios tiveram de lidar com uma avalanche de compras no exterior. A quantidade de pacotes superou 2 milhões por mês. Segundo os Correios, houve um salto de 150% nas mercadorias que chegaram da Ásia, na comparação com 2012. / L.A.O.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.