Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

ENTREVISTA-Produção de petróleo do México deve reagir até 2011

A produção de petróleo do México deve começar a se recuperar no próximo ano ou em 2011, disse à Reuters neste domingo a ministra de Energia Georgina Kessel.

SILVIA ALOISI, REUTERS

24 de maio de 2009 | 16h10

O México, cujas exportações de petróleo desabaram 18 por cento em abril e atingiram níveis que não eram vistos desde 1990 --exceto durante temporadas de furacões--, espera que a produção de petróleo cresça para 3 milhões de barris por dia até 2015, disse Kessel.

"Esperamos que no próximo ano ou no outro a produção comece a se recuperar para os níveis que nós tínhamos anteriormente", disse Kessel em entrevista concedida nos bastidores de um encontro dos ministros de Energia do G8, em Roma.

O volume de petróleo exportado despencou para 1,177 milhão de barris por dia por causa da produção cada vez menor do antigo campo de Cantarell, afirmou a estatal petrolífera Pemex na semana passada.

A extração de petróleo recuou 4,2 por cento em abril em termos anuais, para 2,642 milhões de barris por dia. Foi o quarto mês seguido abaixo da meta de 2,7 milhões de barris diários.

As receitas obtidas no setor são um recurso chave para a economia do México. A queda nas vendas externas foi mais um dado ruim para o país, que já sofre com a recessão e com a queda da demanda norte-americana pelas exportações de suas fábricas.

"Temos enfrentado um declínio em nosso campo mais importante, então atualmente estamos trabalhando em outras áreas, particularmente em Chicontepec, para resolver isso", disse Kessel. "Cantarell é um campo maduro em fase de declínio."

"Até 2015, esperamos atingir os 3 milhões de barris por dia que tínhamos entre 2005 e 2006," acrescentou.

O governo depende da receita do setor para financiar mais de um terço do orçamento. O diretor do banco central mexicano alertou nesta semana sobre a urgência de um plano para reduzir a dependência de petróleo do país, dada a perspectiva fraca sobre o aumento da produção no médio prazo.

O México é um dos três maiores fornecedores de petróleo dos Estados Unidos, mas sua produção tem caído de forma consistente desde 2004 em meio às dificuldades para substituir a capacidade perdida em Cantarell.

O campo, que fornecia mais de 2 milhões de barris por dia em 2004, rendeu apenas 713 mil barris diários em abril, mais de 35 por cento a menos do que no ano anterior, de acordo com dados do Ministério de Energia.

A Pemex prometeu encerrar 2009 com produção de 2,7 milhões de barris por dia. Analistas, porém, continuam céticos quanto às metas de extração do campo de Chicontepec por causa de suas características --bilhões de barris de petróleo estão presos em formações geológicas isoladas, tornando a retirada cara e complicada.

(Reportagem adicional de Robert Campbell, na Cidade do México)

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOMEXICOENTREVISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.