EP: opção para pequenos investidores

Interessados em aplicar uma pequena quantia no mercado de ações têm a opção de investir no programa Empresa de Participação do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP). Para ser um acionista, é necessário unir-se a um grupo de pessoas que tenha perfil empreendedor e esteja disposto a investir, a médio e longo prazos, pequenas parcelas mensais para abrir uma empresa de capital fechado - as ações não são negociadas em bolsas de valores -, que administra investimentos.De acordo com o coordenador do programa, Márcio Landes Claussen, o Sebrae-SP fomenta a criação desses novos e pequenos negócios como forma de capitalização do setor, sem depender de banco nem do governo. Basta entrar em contato com o órgão pelo telefone 0800-780202. O Sebrae-SP divulga o conceito, faz palestras, fornece apoio jurídico e acompanha a empresa até a sua formação. "Depois de a empresa estar consolidada, quem decide a forma de administração são os investidores", afirma Claussen.Conheça as regras para investir em EPsPara evitar a concentração de poder, é determinado controle máximo de 5% de ações para cada investidor. Além disso, em todas as EPs, cada acionista tem direito a apenas um voto nas assembléias. Exemplo disso é a Progresso Participações, administradora com sede em São Paulo, que limitou em 2,5% o número de ações do capital a ser integralizado por acionista e busca atingir lucro de R$ 1 milhão. Criada em janeiro do ano passado, a empresa conta com 60 acionistas e está em busca de mais interessados. Segundo Silva, há o compromisso com o investidor de que após 60 meses ele receberá no mínimo correção igual à da poupança mais juro de 3% ao ano, além de dividendos.Para divulgar mais o conceito das EPs, o Sebrae-SP vai realizar, nos dias 23 e 24 de novembro, o 1.º Congresso Brasileiro de Empresa de Participação, em Brasília. "Ainda não existe um programa formal de estímulo à ciração de EPs, mas queremos levar essa idéia para os 27 Sebraes distribuídos no País", explica o coordenador do programa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.