EPE propõe reforço nas linhas de energia no RS e PR

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) concluiu estudos para reforço no sistema de transmissão de energia no Rio Grande do Sul e no Paraná para garantir o abastecimento durante a Copa de 2014. O estudo propõe um conjunto de empreendimentos, ao custo total de R$ 980 milhões, que deverá ser licitado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2011, com início de operações previsto para 2013.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

20 de outubro de 2010 | 16h59

Para o Rio Grande do Sul, a EPE propõe a construção de duas novas linhas de transmissão. A primeira vai ligar as usinas de Salto Santiago, no Paraná, e Itá, em Santa Catarina. A segunda, liga Itá ao município gaúcho de Nova Santa Rita. Com 500 quilômetros de extensão, no total, as duas foram planejadas com tensão de 500 quilovolts (kV). O estudo propõe ainda novas linhas entre as subestações de Nova Santa Rita e Quinta, em 230 kV e com 290 quilômetros de extensão, além de uma nova subestação chamada Camaquã 3, em 230/69 kV.

"Todos esses empreendimentos asseguram o atendimento adequado dentro dos padrões de confiabilidade e qualidade à capital Porto Alegre e ao sul do Estado do Rio Grande do Sul até o ano de 2020", afirmou a EPE, em comunicado. O estudo referente ao Paraná aponta a necessidade de construção de uma nova subestação de 525/230 kV para a região de Curitiba, além de uma linha de transmissão de 525 kV e com 35 km de extensão, ligando as subestações de Curitiba e Curitiba Leste. No comunicado, a EPE informou ainda que finaliza estudo sobre a interligação Sul-Sudeste, que prevê a construção de pelo menos três novas linhas de transmissão de 500 kV para ampliar o intercâmbio de energia entre as regiões. O estudo será concluído no final do ano.

Tudo o que sabemos sobre:
energiatransmissãolinhasRSPREPE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.