Época é boa para cultivar adubo verde

Já em áreas de frutas e hortaliças, por causa da baixa disponibilidade de água no solo, produtores têm de utilizar irrigação

Ana Maria H. de Ávila, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

A semana foi marcada por dias ensolarados com baixa umidade relativa do ar e temperatura com grandes amplitudes térmicas diárias, o que acentuou a queda da disponibilidade hídrica do solo. Foram registradas chuvas apenas em Iguape, 19 milímetros. Neste município, o solo está com capacidade máxima de armazenamento.

Em Barretos, Votuporanga, Presidente Prudente, Jaú, Jaboticabal e Ilha Solteira, o total de água disponível é de 30% da capacidade máxima de retenção. Variando entre 45% e 71% nas demais localidades monitoradas. No domingo, uma frente fria trouxe chuva e queda de temperatura para o Estado de São Paulo.

Os cafeicultores aproveitaram o tempo seco para prosseguir com a colheita do café. A baixa umidade do ar favorece a secagem dos grãos nos terreiros. Embora a safra este ano seja um pouco menor por causa da bienalidade da cultura, os preços em alta animam os produtores. Além do mais, com o clima favorável, os grãos são mais uniformes, favorecendo a qualidade da bebida.

Em Mogi-Mirim e Engenheiro Coelho, a umidade do solo está em níveis intermediários, facilitando a colheita e o transporte da mandioca; em Presidente Prudente, porém, o solo mais seco dificulta o arranquio da raiz. Pouca chuva e temperatura amena favorecem o desenvolvimento das verduras e legumes. Diminui o ataque de pragas e doenças e os produtores aplicam defensivos com menor frequência. No entanto, como a chuva diminui muito nesta época do ano, torna-se necessário irrigar.

Também prosseguiu a colheita da cebola em Ibiúna, Piedade, Monte Alto e São João da Boa Vista. O tempo seco favoreceu o processo de cura no campo, sem perdas por excesso de umidade.

Granizo. Em Jarinu, Atibaia e Monte Alegre do Sul, parte da produção de morango foi danificada com o granizo, mas para o produtor que conseguiu salvar a produção a temperatura ao longo do outono favoreceu a safra e os frutos estão sendo colhidos com boa qualidade.

Em Taquaritinga, por causa da baixa disponibilidade hídrica do solo, as plantações de limão e goiaba também sentem a estiagem. O desenvolvimento dos frutos depende especialmente de água e a única maneira de garantir uma boa produção é com o uso de irrigação suplementar, o que aumenta os custos consideravelmente.

Nesta época, para garantir o sucesso da safra de verão, que começa em outubro/novembro, é importante investir no cultivo de adubos verdes e na correção do solo.

O tempo também favoreceu a produção de atemoia de Pilar do Sul e São Miguel Arcanjo e do tomate em Mogi-Guaçu e também em Sumaré.

ANA MARIA H. DE ÁVILA É PESQUISADORA DO CEPAGRI/UNICAMP. PARA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE TEMPO E CLIMA, ACESSE WWW.AGRITEMPO.GOV.BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.