Equador anuncia pacote para conter alta de alimentos

O presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou hoje um pacote de subsídios e isenções tarifárias ao setor agrícola do país a fim de incentivar a produção e reduzir a alta de preço dos alimentos. "Um dos principais objetivos do governo é garantir o abastecimento", afirmou Correa. "Reduzir os custos de produção vai ajudar a reduzir a inflação", acrescentou.Pela proposta, o governo equatoriano vai isentar as matérias-primas da cobrança do imposto sobre valor agregado. Os importadores de fertilizantes também ficarão livres de pagar imposto sobre os lucros.Além disso, o governo vai pagar aos agricultores um subsídio de US$ 80 a US$ 240 sobre matérias-primas usadas na produção. Segundo Correa, essa ajuda será concedida duas vezes ao ano e beneficiará principalmente os pequenos produtores. O custo total do pacote, que inclui outras medidas, será de US$ 256 milhões ao ano. O presidente ponderou que o governo vai avaliar o impacto das medidas sobre os preços em 31 de dezembro. Se o efeito não for o esperado, os novos incentivos poderão ser cancelados. Algumas das propostas anunciadas hoje ainda precisam ser aprovadas pela Assembléia Constituinte. Analistas locais estimam que a inflação do Equador deve terminar o ano acima de 10%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.