Equador revoga concessão para mineração

O ministro de Minas e Petróleo do Equador, Galo Chiriboga, disse hoje que as concessões para mineração em 2,08 milhões de hectares (cada hectare equivale a 10 mil metros quadrados), de um total de 4,5 milhões de hectares, foram revogadas e transferidas para o Estado em razão de um decreto aprovado pela Assembléia Constituinte em abril deste ano.Chiriboga afirmou que o processo de avaliação vai continuar e que outras concessões poderão ser revogadas. Entre as companhias afetadas pela medida estão All Metals Mineria, Atlas Moly, Santa Barbara Copper e EcuadorGold - todas unidades de empresas canadenses.Em abril, a Assembléia Constituinte congelou atividades de mineração no país, revogando as concessões atuais e suspendendo as restantes. O movimento foi mais um passo no programa do governo para tomar controle dos recursos naturais. A maioria dos membros da assembléia é de aliados do presidente Rafael Correa.De acordo com o decreto da Assembléia, cada companhia privada terá permissão para controlar apenas três concessões. O ministério ainda não disse quantas concessões serão aprovadas se uma nova lei de mineração passar na assembléia. A pasta afirmou que as concessões revogadas são aquelas que não pagaram taxas de conservação ambiental ao Estado ou que ainda estão sendo avaliadas pelo governo. O ministério ainda precisa determinar quantas concessões serão suspensas enquanto a nova lei de mineração for debatida. As informações são da Dow Jones.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

09 de junho de 2008 | 15h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.