Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Equinix faz planos para expandir em data center no País

Companhia americana avalia ter 100% do controle da Alog, fundada por brasileiros, de olho no mercado de óleo e gás

MÔNICA SCARAMUZZO, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2013 | 02h19

A companhia norte-americana Equinix, um dos maiores grupos de data center (centro de armazenamento de dados) do mundo, deverá exercer em abril o direito de deter 100% do controle da Alog Data Centers, companhia fundada por investidores nacionais.

No início de 2011, o grupo norte-americano e o fundo de private equity Riverwood Capital, com foco em tecnologia, adquiriram, juntos, 90% das operações da companhia brasileira, em uma transação que envolveu US$ 127 milhões. Os 10% restantes ficaram nas mãos dos dois fundadores da Alog, os executivos cariocas Eduardo Carvalho e Sidney Breyer.

Segundo Eduardo Carvalho, presidente executivo da Alog, o valor da operação para a compra total do controle não foi definido ainda. A Equinix também poderá comprar a fatia que pertence ao fundo. A companhia não divulga qual a participação do Riverwood no negócio - apenas informa que é um minoritário relevante.

Expansão. A Alog tem recebido pesados investimentos para expandir sua atuação nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Um aporte de R$ 52 milhões está programado para duplicar a capacidade da unidade de data center da empresa em Barueri (Grande São Paulo).

Em dois anos, o pacote de investimentos na empresa já soma R$ 176 milhões. A companhia também planeja aportar outros R$ 85 milhões para expandir as operações no Rio de Janeiro nos próximos três anos. Aquisições no meio do caminho não estão descartadas, segundo o executivo. "Mas vamos priorizar o crescimento orgânico", afirma.

De acordo com Carvalho, uma pesquisa realizada pela 451 Research, consultoria com foco na área de tecnologia da informação, indicou que 50% das empresas em operação nos Estados Unidos possuem armazenamento de dados "in house" (dentro da própria estrutura da companhia) e a outra metade é terceirizada. "No Brasil, 90% do total é 'in house' e somente 10% são terceirizados, o que dá margem para crescer no País." A companhia é uma das principais operadoras de serviços de data center do País, com cerca de 1.500 clientes corporativos em suas quatro unidades - duas no Rio de Janeiro e outras duas em São Paulo.

Mercados potenciais. Os recentes investimentos feitos pela companhia são para atender mercados com potencial de crescimento, como o de óleo e gás no País, afirma Carvalho. "Os negócios que se criam em torno desse setor também podem ser explorados."

Com faturamento de US$ 1,895 bilhão no ano passado, um crescimento de 21% em relação ao ano anterior, e 4 mil clientes em todo o mundo, a Equinix tem olhado com mais atenção o potencial de expansão na América Latina. O grupo norte-americano atua em 31 mercados da América do Norte, Ásia-Pacífico e Europa.

"O setor de tecnologia da informação no Brasil tem crescido a uma média de 12% a 16% nos últimos anos. A Alog cresce o dobro disso", diz o executivo, sem abrir a receita da companhia no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.