EFE/EPA/STR
EFE/EPA/STR

Erdogan anuncia boicote a produtos eletrônicos dos Estados Unidos

Presidente sugeriu que a Turquia deve parar de comprar iPhones e fez apelo para que os turcos vendam seus dólares e euros para blindar a moeda nacional

O Estado de S.Paulo

14 Agosto 2018 | 08h50

ANCARA - O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta terça-feira que seu país boicotará produtos eletrônicos feitos nos Estados Unidos. A decisão é anunciada em meio à disputa diplomática que detonou uma crise cambial na lira turca. Apesar do boicote, a lira turca se recupera parcialmente e os mercado estão mais calmos.

Washington impôs sanções contra dois ministros de Erdogan devido ao julgamento de um pastor evangélico norte-americano na Turquia por acusações de terrorismo, e na semana passada aumentou tarifas a exportações de metais turcos. A lira perdeu mais de 80% de seu valor neste ano e atingiu uma baixa histórica em relação ao dólar na última segunda-feira, abalada pelos receios com os clamores de Erdogan por taxas de juros mais baixas e pela deterioração dos laços com os EUA.

Sem mostrar sinais de que pretende recuar no impasse com os EUA, Erdogan sugeriu que a Turquia deve parar de comprar iPhones feitos nos EUA e, em vez disso, adquirir os aparelhos da coreana Samsung e da turca Vestel. "Se eles têm o iPhone, há Samsung por toda parte. Nós temos a Vestel", comentou o presidente, sem dizer quando pretende impor o boicote.

Erdogan também renovou o pedido para que os turcos convertam seus dólares em liras turcas, a fim de ajudar a fortalecer a moeda local. A lira bateu mínimas recordes nos últimos dias em relação ao dólar, em meio a preocupações sobre as políticas econômicas turcas e após os EUA imporem sanções sobre o aço e o alumínio turcos. O governo do presidente americano, Donald Trump, critica Ancara pela detenção de um pastor americano, Andrew Brunson, acusado de terrorismo na Turquia. Brunson está em prisão domiciliar. 

“Junto com nosso povo, nós nos oporemos decisivamente contra o dólar, os preços em forex, a inflação e as taxas de juros. Protegeremos nossa independência econômica nos unindo estreitamente”, disse ele a membros de seu partido AK em um discurso.

Erdogan disse ainda que seu governo oferecerá incentivos adicionais a empresas que planejam investir em seu país e que estas não devem se intimidar pela incerteza econômica./REUTERS E AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.