Ermírio espera queda de até 1,5 ponto na Selic

O empresário Antônio Ermírio de Moraes afirmou hoje que se a taxa básica de juros (Selic) baixar de 1 a 1,5 ponto porcentual na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) já será muito bom para o setor produtivo. "Apesar dos juros altos, não paramos de investir e continuamos acreditando no Brasil", reiterou o empresário na manhã de hoje, na inauguração do projeto de ampliação da unidade de Jacareí da Votorantim Celulose e Papel (VCP).Segundo o empresário, com os juros elevados os investimentos em produção acabam não ocorrendo. Ele acredita que a economia brasileira não deverá se recuperar este ano. "Já estamos no final de agosto, portanto será difícil crescer esse ano, acho que isso ocorrerá no ano que vem", considerou. E continuou: "Economia não é como interruptor de luz, que acende e apaga, é preciso ter confiança para crescer."Antônio Ermírio disse também ter a impressão de que a reforma tributária não sairá tão cedo: "Tenho a impressão que ela (reforma tributária) não sai tão cedo." Ele reiterou que o ideal é que essa reforma não eleve as taxas e os tributos, porque se isso acontecer, vai aumentar a economia informal. ?O ministro Palocci me garantiu que não ia aumentar os tributos", reiterou.Apesar de falar sobre a expectativa de redução na taxa de juros, o diretor-presidente do Grupo Votorantim disse que não gostaria de ficar dando palpite sobre o tema. Ao ser questionando se ira falar sobre esse assunto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que vai participar da cerimônia de ampliação da fábrica de Jacareí, o empresário brincou: "Esqueci de trazer a minha aspirina."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.