Ermírio pedirá a Deus para que empresários ouçam Palocci

O empresário Antônio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim, disse hoje que vai "pedir a Deus" para que os empresários brasileiros ouçam o pedido de retomada de investimentos que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, deverá fazer na noite de hoje em cadeia de rádio e televisão. "Vamos pedir a Deus que os empresários o ouçam porque o Brasil precisa investir. O maior problema que o Brasil tem é o desemprego, volto a afirmar", disse hoje em entrevista coletiva, após inaugurar a ampliação da fábrica da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), em Alumínio (SP). "Pena que ele (Palocci) não tenha vindo aqui fazer esse clamor, porque foi convidado", alfinetou. Sugestões e críticasErmírio de Moraes enfatizou ainda "que crescimento econômico não é acender uma luz, demora tempo" e indicou a urgência de se reduzir a burocracia pública. A burocracia, acrescentou, afugenta os empresários por ser, no Brasil, "enorme, fantástica, fora de série". "Só pode começar um negócio no Brasil quem é muito persistente, porque se você não o for, pára pela metade. São tantos formulários e exigências que no final, pensa-se: Vou continuar na economia informal que é melhor", opinou.Ele voltou também a criticar o programa Fome Zero: "Não sou contra o Fome Zero, mas entre esse programa e o emprego, sou mil vezes mais o emprego. O Fome Zero tem o defeito de dar esmola para muita gente que não quer trabalhar", avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.