coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Escândalo da WorldCom deve piorar cenário no Brasil

O ambiente no Exterior deve garantir um dia bastante nervoso por aqui hoje. A notícia do dia, além do jogo do Brasil, é a fraude nos balanços da WorldCom, empresa norte-americana que controla a Embratel. Essa notícia promete agravar nos mercados internacionais a crise de confiança e já está provocando queda forte do dólar frente a outras moedas fortes (euro e iene, por exemplo). No Brasil, o aumento da aversão ao risco deve intensificar o nervosismo, que já é forte por conta do cenário político. Hoje, o risco país voltou a subir e estava em 1.738 pontos base, contra 1.618 ontem. Já o C-Bond recuava 4,35% no início da manhã. Ontem, surgiu o rumor de que Anthony Garotinho poderia desistir de sua candidatura e apoiar Luiz Inácio Lula da Silva. Esse comentário fez o mercado alterar a primeira avaliação, que havia sido positiva, a respeito da pesquisa divulgada ontem pela Vox Populi, que apontou crescimento de um ponto de José Serra e queda de dois pontos de Lula. Por conta disso, e de fluxo negativo de recursos, o dólar encerrou em forte alta ontem. Os juros futuros até recuaram um pouco, mas nada que indique reversão do mau humor. Para hoje, a expectativa é que a piora do noticiário externo atinja diretamente os negócios por aqui. O mercado doméstico aguarda ainda a divulgação da ata do Copom, prevista para as 13h30, que deverá explicar as razões da decisão do comitê de manter inalterada a taxa Selic com viés de baixa. Alguns analistas interpretaram que o viés de baixa estaria relacionado à possibilidade de o dólar recuar. A expectativa é que o documento esclareça, oficialmente, a razão desse viés.

Agencia Estado,

26 de junho de 2002 | 10h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.